Iepha-MG finaliza obras na Capela de Nosso Senhor dos Passos em Córregos

Revitalização arquitetônica das fachadas de 37 edificações e um chafariz que compõem o Núcleo Histórico do distrito de Córregos também estão sendo realizados.

Após um ano, as obras de restauração da Capela de Nosso Senhor dos Passos, no distrito de Córregos, em Conceição do Mato Dentro, região central do estado, foram concluídas. Iniciados em dezembro de 2018, os trabalhos foram acompanhados pelos técnicos do Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico de Minas Gerais (Iepha-MG) e o valor investido na restauração foi de R$697.800,29. Os elementos artísticos do altar e a imagem de Nosso Senhor dos Passos também foram restaurados.

A ação foi viabilizada por meio de medida compensatória da empresa Anglo American que  investe cerca de R$3,5 milhões em bens culturais no município de Conceição do Mato Dentro. Além da Capela de Nosso Senhor dos Passos, são realizadas obras de revitalização de 36 fachadas das edificações e de um chafariz que integram o núcleo histórico de Córregos. Contratadas pelo Iepha-MG, as obras da Capela foram realizadas pela empresa Anima Conservação Restauração e Artes, e a revitalização das fachadas está sendo realizada pela empresa Cantaria Conservação e Restauro Ltda.

A Capela de Nosso Senhor dos Passos, tombada pelo Iepha-MG desde março de 1985, recebeu restauração arquitetônica de sua fundação e estrutura, esquadrias, alvenarias, cobertura, substituição do forro em madeira, instalações elétricas, SPDA, prevenção e combate a incêndio e pânico, rampa de acessibilidade, drenagem superficial e pintura.

Capela de Nosso Senhor dos Passos

Com a ação de proteção da Capela de Nosso Senhor dos Passos, do distrito de Córregos, em 1985, o Iepha-MG revelou um patrimônio singelo, expressivo e em harmonia com o sítio onde está inserido. A edificação passou por intervenções entre 1984 e 1985, ocasião em que foram realizadas obras estruturais, carpintaria, telhados e drenagem do adro.

De singela arquitetura, a igreja encontra-se cercada por murada de pedras. Evidências de um estilo arquitetônico característico do século 18 apontam para a antiguidade dessa edificação, apesar da carência – inexistência ou desconhecimento – de qualquer registro ou documentação histórica que lhe faça referência.

A Capela e seu cemitério estão localizados no ponto mais alto do povoado, de onde se vê e pode ser vista por todos do lugar. Entre os motivos que sustentaram a proteção legal de tombamento da edificação está a sua solução arquitetônica.